ASSIMETRIA DIREITA-ESQUERDA E DESENVOLVIMENTO NEUROPSICOMOTOR HUMANO (Left-right Asymmetry and Human Neuropsychomotor Development)

Laura Beatriz Bora, Vanessa Thomazini Cardoso, Plínio Marco de Toni

Resumen


Resumo

O presente artigo tem como objetivo relatar sobre a organização neurológica das crianças em relação ao comportamento motor, buscando evidenciar os processos anteriores ao uso preferencial de um determinado membro e a constituição da lateralidade, salientando as leis céfalo-caudal e próximo-distal. Também são apresentados conceitos referentes ao desenvolvimento motor em neonatos e de que forma irão influenciar a relação de lateralidade discutida. Objetiva-se apresentar a relação entre a lateralidade e a discriminação direita-esquerda e como esta última influencia na aprendizagem. O estudo se deu a partir de revisões teóricas, e os resultados obtidos mostram que o desenvolvimento motor, partindo de neonatos, se dá primeiro com uma constituição bimanual, havendo uma dominância homolateral do corpo, devido à hipotonicidade do eixo axial e à hipertonicidade das extremidades. Uma melhor estruturação do esquema corporal ocorre a partir do desaparecimento dos reflexos presentes e da constituição da bonicularidade e da binauricularidade (uso simultâneo dos olhos e dos ouvidos, respectivamente), os quais favorecem o engatinhar e, consequentemente, a criança passa a ter maiores possibilidades de explorar o mundo a sua volta, favorecendo a definição de preferência de um dos lados. Conforme apresentado, se a discriminação direita-esquerda não for bem definida, poderão ocorrer problemas cognitivos e distúrbios de aprendizagem.

Palavras-chave: Piscomotricidade, Neurospicologia, Desenvolvimento Infantil, Desenvolvimento Neuropsicomotor, Lateralidade, Aprendizagem, Desempenho Psicomotor, Assimetria Direita-Esquerda.

Abstract

This paper aims to discuss about the neurological organization of children in relation to motor behavior, seeking to highlight the prior processes to the preferential use of a member and laterality constitution, emphasizing the cephalocaudal and Proximodistal trends. It also provides concepts regarding to motor development in newborns and how it will influence the relationship of laterality. It aims to show the relationship between handedness and right-left differentiation and how the latter influence on learning. This study was based on theoretical revisions, and the results obtained show that the motor development, starting from newborns, occurs first with a bimanual constitution, with a homolateral dominance of the body due to the hypotonicity of the axial axis and hypertonicity of the extremities A better structure of the body schema occurs from the disappearance of existing reflexes and the constitution of bonicularidade and binauricularidade (simultaneous use of eyes and ears, respectively), which favors crawling and, consequently, the child will have greater possibilities to explore the surrounding world, favoring the definition of preference on one side. As shown, if the right-left differentiation is not well defined, cognitive problems and learning disorders may occur.

keywords: Psychomotricity, Neuropsychology, Child Development, Neuropsychomotor Development, Laterality, Learning, Psychomotor Performance, Left-Right Asymmetry.

Resumen

El presente artículo tiene como objetivo discutir sobre la organización neurológica de los niños en relación al comportamiento motor, buscando evidenciar los procesos previos al uso preferencial de un determinado miembro y la constitución de la lateralidad, enfatizando las leyes céfalo-caudal y próximo-distal. También se presentan conceptos referentes al desarrollo motor en recién nacidos y el modo como influenciará la relación de lateralidad discutida; y la relación entre la lateralidad y la discriminación derecha-izquierda y cómo esta última influye en el aprendizaje. El estudio se basó en revisiones teóricas y los resultados obtenidos muestran que el desarrollo motor, partiendo de los recién nacidos, se produce primero con una constituición bimanual y una dominancia homolateral del cuerpo, debida a la hipotonicidad del eje axial y a la hipertonicidad de las extremidades. Una mejor estructuración del esquema corporal ocurre a partir de la desaparición de los reflejos presentes y de la constituición de la bonicularidad y de la binauricularidad (uso simultâneo de los ojos y oidos, respectivamente), los cuales favorecen el gatear y, en consecuencia, el niño tendrá mayores posibilidades de explorar el mundo a su alrededor, propiciando la definición de la preferencia de uno de los lados. Como se muestra, si la discriminación derecha-izquierda no está bien definida, pueden ocurrir problemas cognitivos y trastornos en el aprendizaje.

 

Palabras claves: Psicomotricidad, Neuropsicología, Desarrollo Infantil, Desarrollo Neuropsicomotor, Lateralidad, Aprendizaje, Desempeño Psicomotor, Asimetría Derecha-Izquierda,

La asimetría derecha-izquierda y Desarrollo Neuropsicomotor Humano


Palabras clave


Piscimotricidade; Neurospicologia; Desarrollo infantil; Desenvolvimento Infantil; Desenvolvimento Neuropsicomotor; Lateralidade; Aprendizagem; Desempenho Psicomotor; Assimetria Direita-Esquerda

Texto completo:

PDF

Referencias


Bergès, J., & Lézine, I. (1987). Teste de imitação de gestos. Porto Alegre: Artes

Médicas.

Bessa, L. A. S., & Maciel, R. M. (2016). A Importância da Psicomotricidade no

Desenvolvimento das Crianças nos Anos Iniciais. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento, 12(1), 59-78. Recuperado de: https://www.nucleodoconhecimento.com.br/educacao/psicomotricidade-desenvolvimento-criancas

Brandão, J. S. (1984). Desenvolvimento psicomotor da mão. Rio de Janeiro:

Enelivros.

Borges, M. F., & Rubio, J. A. S. (2013). A Educação Psicomotora como instrumento no

Processo de Aprendizagem. Revista Eletrônica Saberes da Educação, 4(1), 1-12. Recuperado de: http://docs.uninove.br/arte/fac/publicacoes/pdf/v4-n1-2013/M_Fernanda.pdf

Borges, S. M., Aprahami, I., Radanovic, M., & Forlenza, O. V. (2010).

Psicomotricidade e retrogênese: considerações sobre o envelhecimento e a doença de Alzheimer. Revista de Psiquiatria Clínica, 37(3), 131-7. Recuperado a partir de: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-60832010000300007

Bottesini, S. A., Silva, F. P. S., & Tudella, E. (2010). Preferência manual de crianças

ao alcançar objetos de tamanho e rigidez diferentes. Fisioterapia e Pesquisa, 17(3), 198-202. Recuperado de: http://www.scielo.br/pdf/fp/v17n3/02.pdf

Carvalho, M. V. P. (2011). O desenvolvimento motor normal da criança de 0 à 1 ano:

orientações para pais e cuidadores. Dissertação (Dissertação de mestrado, Fundação Oswaldo Aranha, Programa de Mestrado Profissional em Ciências da Saúde e Meio Ambiente). Recuperado de: http://web.unifoa.edu.br/portal_ensino/mestrado/mecsma/arquivos/37.pdf

Chusid, J. G. (1972). Neuroanatomia correlativa e neurologia funcional. (14a ed.).

Rio de Janeiro: Guanabara.

Coll, C., Palacios, J., & Marchesi, A. (1995). Desenvolvimento psicológico e

educação: psicologia evolutiva. Porto Alegre: Artes Médicas.

Costallat, D. M. (1974). Psicomotricidade. Porto Alegre: Globo.

Coste, J. C. (1981). A psicomotricidade. (2a ed.). Rio de Janeiro: Zahar.

Defontaine, J. (1978). Manual de reeducacionpsicomotriz: primer año. Barcelona:

Editorial Médica e Técnica.

Delacato, C. H. (1967). Diagnóstico e tratamento dos problemas de fala e leitura.

São Paulo:

De Lamare, R. (2009). A vida do bebê. (42. ed.). Rio de Janeiro: Agir.

Domellöf, E. (2006). Development of functional asymmetries in young infants: A

sensory-motor approach. Dissertação de doutoramento não publicada. Umea

University.

Drouet, R.C.R. (1990). Distúrbios de aprendizagem. São Paulo: Ática.

Duzzi, M. H. B., Rodrigues, S. D., & Ciasca, S. M. (2013). Percepção de professores

sobre a relação entre desenvolvimento das habilidades psicomotoras e aquisição

da escrita. Psicopedagogia, 30(92), 121-8. Recuperado de: http://www.revistapsicopedagogia.com.br/exportar-pdf/105/v30n92a06.pdf

Faquin, B. S., Candido, C. R. C., Santos, A. G. I. G., Oliveira, T. F., Porto, A. B., &

Okazaki, V. H. A. (2015). Efeito da restrição espacial do ambiente na preferência manual em tarefa de alcance em adultos jovens. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, 37(4), 407-412. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1016/j.rbce.2015.08.007

Fernandes, C. T., Dantas, P. M. S., & Mourão-Carvalhal, M. I. (2014). Desempenho

psicomotor de escolares com dificuldades de aprendizagem em cálculos. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 95(239), 112-138. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/S2176-66812014000100007

Ferreira, J. R. P., Neto, F. R., Poeta, L. S., Xavier, R. F. C., Santos, A. P. M., & Medeiros,

D. L. (2015). Avaliação motora em escolares com dificuldade de aprendizagem. Pediatria Moderna, 51(2), 67-72. Recuperado de: http://www.motricidade.com.br/pdfs/artigos/2015,%20art%20pedi%20moder.pdf

Freitas, C., Botelho, M., & Vasconcelos, O. (2014). Preferência lateral e coordenação

motora. Motricidade, 10(2), 11-24. Recuperado de: https://doi.org/10.6063/motricidade.10(2).1245

Fonseca, V. (1998). Psicomotricidade: filogênese, ontogênese e retrogênese. (2a

ed.). Porto Alegre: Artes Médicas.

Fonseca, V. (1995a). Introdução às dificuldades de aprendizagem. (2a ed.). Porto

Alegre: Artes Médicas.

Fonseca, V. (1995b). Manual de observação psicomotora: significação

psiconeurológica dos fatores psicomotores. Porto Alegre: Artes Médicas.

Fonseca, V. (1977). Contributo para o estudo da gênese da psicomotricidade. (2a

ed.). Lisboa: Editorial Notícias.

Fusco, N., Germano, G. D., & Capellini S. A. (2015). Eficácia de um programa de

Intervenção percepto-viso-motora para escolares com dislexia. CoDAS, 27(2), 128-34. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/2317-1782/20152014013

Gesell, A. (2002). Psicologia do desenvolvimento do lactente e da criança pequena:

bases neuropsicológicas e comportamentais. São Paulo: Atheneu.

Guillarme, J. J. (1983). Educação e reeducação psicomotoras. Porto Alegre: Artes

Médicas.

Jacobsohn, L., Barreiros, J., Vasconcelos, O., & Rodrigues, P. (2008). Emergência

da lateralidade no primeiro ano de vida. In D. Catela, & J. Barreiros. (Eds.), Desenvolvimento Motor da Criança (pp. 85-95). Rio Maior, Portugal: ESDRM.

Leakey, R. (1997). A origem da espécie humana. Rio de Janeiro: Rocco.

Lucena, N. M. G., Soares, D. A., Soares, L. M. M. M., Aragão, P. O. R., & Ravagni, E.

(2010). Lateralidade manual, ocular e dos membros inferiores e sua relação com déficit de organização espacial em escolares. Estudos de Psicologia, 27(1), 3-11. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2010000100001

Luria, A. R. (1981). Fundamentos de neuropsicologia. São Paulo: EDUSP.

Machado, A. (1998). Neuroanatomia funcional. São Paulo: Atheneu.

McMinn, R.M.H., Hutchings, R.T., Pegington, J., & Abrahams, P. H. (1995). Atlas

colorido de anatomia humana. São Paulo: Manole.

Meur, A., & Staes, L. (1984). Psicomotricidade: educação e reeducação. São Paulo:

Manole.

Meyerhof, P. G. (1994). O desenvolvimento normal da preensão: Revista Brasileira

de Crescimento e Desenvolvimento Humano, 4(2), 25-29. Recuperado de:

https://doi.org/10.7322/jhgd.38136

Monteiro, C. D. P., & Rocha, P. R. H. (2016). Desenvolvimento Motor ao Longo da

História: Reflexões Teóricas e Práticas (Monografia de Especialização). Universidade de São Paulo (USP), Programa de Pós-Graduação em Saúde da Criança e do Adolescente, Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. Recuperado de: file:///C:/Users/Positivo/Downloads/Camila%20e%20Paulo.pdf

Neto, F. R. (2002). Manual de avaliação motora. Porto Alegre: Artmed.

Neto, F. R., Almeida G. M. F., Caon, G. Ribeiro, J., Caram J. A., & Piucco, E. C. (2007).

Desenvolvimento Motor de Crianças com Indicadores de Dificuldades na Aprendizagem Escolar. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, 15(1), 45-51. Recuperado de: http://www.motricidade.com.br/pdfs/artigos/2007,%20ROSA%20NETO,%20ALMEIDA,%20CAON.pdf

Neto, F. R., Xavier, R. F. C., Santos, A. P. M., Amaro, K. N., Florêncio, R., & Poeta,

L. S. (2013). A lateralidade cruzada e o desempenho da leitura e escrita em escolares, CEFAC, 15(4), 864-872. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/S1516-18462013000400015

Olhweiler, L., Silva A. R., & Rotta, N.T. (2005). Estudo dos reflexos primitivos em

pacientes recém-nascidos pré-termo normais no primeiro ano de vida. Arquivos de Neuro-Psiquiatria, 63(2), 294-297. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X2005000200017

Oliveira, G. C. (2002). Psicomotricidade: educação e reeducação num enfoque

psicopedagógico. Petrópolis: Vozes.

Pacheco, E. A., & Santos, J. C. (2013). Importância do Desenvolvimento da Coordenação Motora na Aprendizagem na Educação Infantil. Revista nativa, 1(2), 1-19.

Pamplona Morais, A. M. (1992). Distúrbios da Aprendizagem: uma abordagem

psicopedagógica. São Paulo: EDICON.

Papalia, D. E. (2013). Desenvolvimento humano. (12. Ed.). Porto Alegre: AMGH.

Pedone, E. L. (1982). Neurologia prática. Caxias do Sul: EDUCS.

Rabelo, K. I. L., & Aquino, G. B. (2014). Relação entre psicomotricidade e

desenvolvimento infantil: um relato de experiência. Revista Científica da Faminas, 10(3), 109-123. Recuperado de: https://unifaminas.s3.amazonaws.com/upload/downloads/20150409151300_869356.pdf

Rodrigues, P. C., Vasconcelos, M. O., & Barreiros, J. M. (2010). Desenvolvimento

da assimetria manual. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, 10(1), 230-

Recuperado de: http://www.scielo.mec.pt/pdf/rpcd/v10n1/v10n1a12.pdf

Serafin, G., Peres, L. S, & Corseuil H. X. (2000). Lateralidade: conhecimentos básicos e

fatores de dominância em escolares de 7 a 10 anos. Caderno de Educação Física, 2(1), 11-30. Recuperado de: http://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/1833/1482

Soares, A. T. S. (2002). Lateralidade no desenvolvimento infantil. Monografia,

Universidade Cândido Mendes, Especialização em psicomotricidade, Rio de janeiro, Brasil. Recuperado de: http://www.avm.edu.br/monopdf/7/ANDREA%20TEREZA%20SARTORIO%20SOARES.pdf

Souza, R. M., & Teixeira, L. A. (2011). Sobre a Relação entre Filogenia e Ontogenia

no Desenvolvimento da Lateralidade na Infância. Psicologia: Reflexão e Crítica, 24(1), 62-70. Recuperado de: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722011000100008

Souza, R. M., Tudella, E., & Teixeira, L. A. (2011). Preferência Manual na Ação de

Alcançar em Bebês em Função da Localização Espacial do Alvo. Psicologia: Reflexão e Crítica, 24(2), 318-325. Recuperado de: http://www.producao.usp.br/handle/BDPI/2801

Veras, F. C. (2013). A dislexia e a linguagem com foco na leitura e produção textual

(Projeto de conclusão de curso). Universidade de Brasília, Instituto de Letras. Recuperado de: http://bdm.unb.br/bitstream/10483/5261/1/2013_FernandadeCarvalhoVeras.pdf

Zazzo, R. (1981). Manual para o exame psicológico da criança. São Paulo: Mestre Jou.




Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

 

 

Revista CES Psicología/ISSN 2011-3080 Facultad de Psicología Universidad CES

Publicada desde 2008

Ultima actualización Enero 25 de 2019

 

Copyright© 2011 Universidad CES, Calle 10A No. 22 - 04, Medellín, Colombia

 

http://www.ces.edu.co/